Histórico


    CRIAÇAO DO INSTITUTO DE TELECOMUNICAÇÕES –ITEL 

QUANO E COMO FOI CRIADO O ITEL?                 

 

  A necessidade de dotar o País com quadros nacionais com capacidade de acompanhar  a evolução das novas tecnologias no ramo das  telecomunicaõs e teledifusão afim de gerir os sistemas complexos desse ramo  já instalados no País, traduzindo a orientação  do 1º Congresso do MPLA-Partido do trabalho,  foi ao abrigo do decreto executivo conjunto nº29/85 de 29 de Abril,  dos Ministérios da Educação e dos Transportes e Comunicações , publicado no Diário da República, 1ª série nº 35/85, nos termos do artigo 62º da Lei Constitucional, que no seu artigo 1º, é criado o Instituto de Teleomunicações, sob dependência dos dois ministérios supra sitados. 

  • Objectivos fundamentais: Formar quadros técnicos principalmente quadros médios, lacuna que já se fazia sentir à bastante, já que essa especialidade do curso de Electrotecnía só e fazia sentir  na Faculdade de Engenharia isto é última etapa da licenciatura, principio este que limitava os estudantes que seguiam essa especialidade (por falta da pendente média), como a componente básica era adquirida nas próprias empresas  através dos seus centros de formação básica.     

A formação de técnicos médios; organização e formação de espscialistas no ramo; apoiar a formação básica;  organizar seminários, conferéncias e outras iniciativas que ajudam tal missão e a execução de tudo quanto serve para promover os objectivos do Instituto.  

  • Parceria com o Ministério da Educação. O Miniostério dos Transportes e comunicações (neste momento já separados em Ministério dos Transportes e Ministério das telecomunicações e Tecnologias de Informação) deve colaborar com o Ministério da Educação quanto ao encaminhamento dos alunos para o Instituto, no tocante a: Habilitações dos alunos; duração dos cursos; curriculos e programas; sistema de avaliação e calendário escolar. 

No fim  do ano escolar do ano de 1987 (em setembro) foram recrutados pelo Ministério dos transortes e Comunicações, 13 dos 15 alunos pretendidos na turma única  da 12ª classe de Electrotecnía do Instituto Politécnico Karl Marx-Makarenko, que de 9 de Maio de 1987 a 9 de Maio de 1989 (2 anos) foras à Italia onde frequentaram um curso de formadores em telecomunicações no Centro de Formação ANCIFAP, pertencente ao Grupo IRI, na cidade de Terni, Regiao de Úmbria. 

Terminado o curso, os 13 formados regressaram  à Angola e porque por motivos por esses desconhecidos o ITEL não tinha sido construido como prometido. Então, na instalações do Centro de Formação  Profissional da Enatel e Eptel onde o Engenheiro Manuel Avelino que era o Director, o ITEL provisoriamente arrancou o seu 1º ano lectivo em Setembro/89 com 2 turmas (A e B) da 9ª classe nas sala 5 e 8,  sob comando do Director do Centro de Formação (acumulando).

Para a criação da Angola Telecom,  juntaram-se a Eptel e a Enatel, em 1992, a onde o Engenheiro João Avelino concorreu para um cargo directivo e ficou como o Director Geral Adjunto abandonando todos cargos anteriores. Como o Director era o único membro da direcção do ITEL, a sua saída deixou-o a Deus dará, onde  apercebendo-se e por iniciativa própria, os professores Américo Dos Santos, Carlos Pascoal e Isaac Silva, com a colaboração do professores Tavares da Angola Telecom, e como se preparava o inicio  de um ano lectivo decidiram formar uma comisão sem que quaquer outro professor soubesse da ausência do Director e arrancaram com o ano lectivo em Setembro. 

No ano seguinte (1993)foi nomeado o Director JOSÉ CARVALHO DA ROCHA, que deu outro impulso ao ITEL aonde o nosso lema passou a ser pouco mais bons. Após vários anos (em 1996, data por confirmar), o centro de formação da já Angola Telecom perdeu a graça diante do ITEL e foi extinta, tomando o ITEL as instalações por completo, que após alguns arranjos, é o que hoje temos.  

 

Fonte: Eng° Carlos Pascoal